Perguntas e Respostas

Comissão Doutrinária – International Catholic Charismatic Renewal Services

Ano 2010

 

Para responder a essa pergunta, vamos primeiro olhar para o que se entende por batismo no Espírito Santo. Como é geralmente entendido na Renovação Carismática, o, Batismo no Espírito se refere a uma experiência transformadora de vida, que transforma a realidade e presença do Senhor Jesus ressuscitado e do Espírito Santo e seus dons. Não é um sacramento em si, mas um recebimento das graças fundamentais dos sacramentos do batismo e da confirmação, permitindo que o poder e a eficácia desses sacramentos produzam frutos de uma maneira nova e resultando em uma nova capacitação para o serviço e evangelização. 

Muitos na Renovação Carismática Católica estão convencidos de que esta graça é para todos os membros da Igreja. Outros hesitam perante tal afirmação, ressaltando que a RCC é apenas um dos muitos movimentos eclesiais da Igreja, cada um com seus próprios carismas. De fato, estas são verdades expressas em ambas as posições.

Por um lado, o Batismo no Espírito é realmente uma graça destinada a todos os cristãos batizados. Uma das mais fortes afirmações da universalidade deste dom foi feita pelo Papa Bento XVI no seu discurso durante o Regina Coeli no Domingo de Pentecostes de 2008, quando ele disse: “Hoje eu gostaria de estender esse convite a todos: Vamos redescobrir, queridos irmãos e irmãs, a beleza de sermos batizados no Espírito Santo; sejamos mais conscientes do nosso batismo e da nossa confirmação, fontes de graça que estão sempre presentes. Peçamos à Virgem Maria que obtenha um renovado Pentecostes para a Igreja também hoje, um Pentecostes que disseminará entre todos a alegria de viver e testemunhar o Evangelho “(grifo nosso). O Santo Padre explicou que a efusão do Espírito no Pentecostes foi “o momento culminante de toda a missão de Jesus,” o dom pelo qual Ele morreu e ressuscitou para nos dar.

Em outra ocasião, o papa afirmou que “toda a missão de Cristo se resume nisto: batizar-nos no Espírito Santo, para nos libertar da escravidão e da morte ‘para abrir o céu para nós”.

Certamente não se pode presumir que o Papa Bento XVI estivesse usando a frase bíblica “batizar no Espírito Santo”, exatamente como a Renovação Carismática o usa hoje. No entanto, ele está claramente chamando por uma renovação da graça do batismo e da confirmação de uma maneira que está diretamente ligada ao derramamento do Espírito em Pentecostes. Além disso, ele está bem ciente do uso deste termo na Renovação, da graça que tem transformado a vida de tantos milhões de cristãos.

Assim, a RCC é, em certo sentido, a portadora de uma graça que pertence à toda a Igreja e se destina à renovação de toda a Igreja. Ao mesmo tempo, porém, deve-se reconhecer que a RCC também é um movimento específico da Igreja, com suas próprias espiritualidade, estruturas, formas de oração e padrões de vida cristã. A RCC foi planejada por Deus para fomentar a graça do batismo no Espírito de uma maneira particular, embora esta não seja a única maneira de responder a esta graça. Na sua Carta Apostólica Christifideles Laici, o Papa João Paulo II exortou os fiéis a apreciar os diversos carismas expressos nos diferentes movimentos eclesiais: “Todos nós, pastores e fiéis leigos, temos o dever de promover e nutrir laços mais fortes e estima recíproca, cordialidade e colaboração entre as várias formas de associações de leigos. Somente desta forma pode a riqueza dos dons e carismas que o Senhor nos oferece dar sua contribuição profícua para a construção de uma moradia comum “(31).

Essa dupla realidade também se aplica aos carismas específicos exercidos na Renovação. Por exemplo, são a profecia e a cura para toda a Igreja? No sentido de que são dons básicos da Igreja, a resposta é sim; elas pertenciam ao ministério de Jesus e faziam parte do que ele passou para a Igreja através dos Doze (cf. Mt 10:7-8, Mc 16: 15-18; 1Cor 14:1). No entanto, as formas particulares que estes dons assumem em várias épocas e configurações não pode ser tornada obrigatória para qualquer pessoa ou grupo. As formas para o exercício desses dons encontrados na RCC são expressões particulares que não devem ser vistas como norma para todos.

Às vezes, líderes da RCC afirmam que o nosso objetivo deve ser o de mesclar-se na Igreja à medida que toda a Igreja se renova. Este é um objetivo louvável, mas ao mesmo tempo deve-se ter em mente que o objetivo de renovar a Igreja não será plenamente realizado até que Cristo venha em glória! Como um movimento da Igreja, a RCC é chamada a viver a graça do Batismo no Espírito Santo com uma intensidade particular, para que possamos ser fermento contínuo dentro do corpo de Cristo, à medida que o mesmo caminha pela história.